Livros

[Resenha 032] A Bela e o Barão

03:00,2 Comments

Título: A Bela e o Barão
Título Original: Beauty and the Baron
Autor: Deborah Hale
Páginas: 314
Ano: 2003
Editora: Nova Cultural  

Sinopse:
Lorde Lucius Daventry voltara da guerra com o rosto desfigurado por causa de um tiro e decidira viver em reclusão. Mas ao saber que seu avô estava à beira da morte, propõe um noivado fictício à sua vizinha, Ângela Lacewood, para satisfazer a última vontade do avô. Tudo era para ser um mero acordo, mas a paixão avassaladora que invadiu seu peito estava sendo difícil de ser represada. Lucius sabia que não podia abrir seu coração para Ângela, afinal o que uma mulher tão bela iria querer com um homem como ele?

”Afeição”. Angela conhecia o significado abstrato da palavra e já a ouvira antes, mas nos lábios de Lucius Daventry era como ouvi-la pela primeira vez.

Deborah Hale é ganhadora do Golden Heart, após isso passou a escrever romances históricos. Ela simplesmente juntou seu amor pelo passado e por lindas histórias românticas. Com uma forma de escrever cenários que fazem o leitor viajar e se encantar com cada romance, para ela, escrever é um mecanismo de se manter com sanidade. A Bela e o Barão, Entre o Amor e o Dever e Duelo entre o Céu e o Mar, são algumas de suas obras.
Olá meus queridos leitores, hoje estou trazendo a resenha de um livro que me acompanhou, por uns dias, nas minhas férias de julho do ano de 2010. Emprestado por uma amiga, este é um dos livros que mais gostei, de todos que li da Nova Cultura até agora.

A capa me encantou assim que olhei, e fico feliz por não ter me enganado ao apreciá-la e escolhê-lo, já que seu conteúdo é tão encantador quanto. Essa imagem, com o casal abraçado na escada durante a noite, me recordou ao conto da Bela e Fera em uma versão mais romanceada. Essa mescla entre azul e violeta, que tanto deixa o clima romântico e ao mesmo tempo de temor.

Conta-se a história de Lucius, também conhecido por Lord Daventry, que após a batalha de Waterloo, regressou com parte do rosto desfigurado. Fechou-se para a sociedade, pois não queria que ninguém sentisse pena dele, e por muito tempo resistiu a tentativa de seu avô, de casá-lo com Ângela Lacewood. Entretanto, ficou sabendo que seu avô estava à beira da morte e decido a atender ao último pedido dele, propôs casar-se com Ângela, mas ambos sabiam que era tudo um acordo temporário. Com o passar do tempo, com a convivência, ambos foram se conhecendo e uma surpreende paixão surge entre os dois, no entanto, guardavam este sentimento para si, assim como o momento da separação, que eles não desejavam que chegasse. 

Em poucas palavras posso afirmar que a história é cativante, é possível se envolver com os personagens e também imaginar cada cenário. O narrador é onisciente e você consegue ter uma boa visão do que os personagens sentem e fazem. Na minha opinião, essa é uma boa leitura para quem curte romance e quer ler algo com clima de mês de Halloween, sem entrar em seres sobrenaturais e assassinatos. 

Espero que tenham curtido, porque eu sempre amo compartilhar algo com vocês. Saibam que o cantinho é de vocês e podem dar suas sugestões. Até a próxima! 

Resumo da minha opinião: Sagrado da Birmânia

You Might Also Like

2 comentários:

  1. Ai que legal, olha eu não curto muito livros assim, mas a história me chamou atenção! Preciso tirar um tempo para ler coisas assim, romances e etc. Prefiro livros ilustrativos rs. Um beijo e muito sucesso sempre.
    Um beijo.
    www.esteticando-se.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Emanuelly, é difícil eu ler romance, mas tenho sorte de pegar histórias bem fofas. Agradeço pela visita e pelos desejos de sucesso, espero vê-la aqui novamente.
      Abraços!

      Excluir