[Resenha 036] Quem me roubou de mim?

03:00 0 Comments A+ a-

Título: Quem me roubou de mim?
Autor: Padre Fabio de Melo
Páginas: 152
Ano: 2008
Editora: Canção nova
ISBN: 9788576770985
Classificação: 5/5
Sinopse: Escrita pelo Padre Fábio de Melo, esta obra aborda algumas questões sobre as dificuldades das relações humanas. É um livro bastante profundo, que apresenta uma linguagem poética e leve para falar de coisas tão importantes em nossa vida. Por meio de reflexões filosóficas, textos poéticos e histórias reais, o autor toca nosso entendimento e nossas emoções, convidando-nos a um mergulho em nossa subjetividade, afim de nos fazer conhecer a nós mesmos e a descobrir como viver e conviver melhor não só com as pessoas que nos cercam, mas com todos que passam pelo nosso caminho.

“As alegrias costumam ser preparadas no silêncio das duras esperas.”
Padre Fabio de Melo nasceu no dia 3 de abril de 1971, na cidade de Formiga, Minas Gerais. Após anos de formação e estudos, tornou-se padre em dezembro de 2001, em sua cidade natal, na Igreja Matriz de São Vicente Ferrer. Atualmente é nacionalmente conhecido por seu trabalho e divulgação da Palavra de Deus. Tempo de Esperas e Quem me roubou de mim são alguns dos livros que ele escreveu.
“Sempre que alguém chega à nossa vida nunca vem sozinho. Ele traz o seu horizonte de sentido. Pessoas, coisas, valores, ideias. Traz o alicerce que o faz ser o que é.”

Olá meus queridos leitores, como vocês estão?

Já leram Quem me roubou de mim? Bom, escolhi falar sobre esse livro, porque é um dos livros que mais achei interessante no ano que eu li. Contendo um pouco de psicologia, antropologia e religião. O Padre Fabio de Melo nos leva mais uma vez para dentro de nós mesmos, para que possamos fazer uma reflexão. 

Eu poderia dizer que não identifiquei nenhum significado nesta capa, mas na verdade ela tem algo relacionado ao conteúdo do livro. Essa mascara, essa cama da pele retirada do rosto, significaria o ato de conhecer a si mesmo e mostrar-se como realmente é. Afinal, quando nos escondemos por trás de um personagem, estamos nos roubando o direito de ser quem somos e ficamos ainda mais frágeis, podendo alguém tomar conta de nossa vida e nos roube de nós mesmos. 

A partir de histórias e uma linguagem mais poética e filosófica, ele nos faz parar e refletir sobre anos que fazem com que nos percamos, que nos tiram a possibilidade de ser quem somos. Situações que nos fazem sair do trajeto e seguir por outro. Através de suas palavras ele nos leva a uma convivência melhor com quem somos e com outras pessoas.

Do meu ponto de vista é um livro incrível, que merece uma chance de ser lido, é uma leitura fácil, agradável e rápida, já que o livro é fininho. Eu tinha este livro, mas não recordo em que mãos ele se encontra agora, pois eu havia emprestado e daí nunca mais vi e nem lembro para quem foi. 

Bom, espero que tenham gostado. Até a próxima!


Você também pode se interessar por: 

Graduada em Processos Gerenciais. Apaixonada por automobilismo e esportes em geral, sou Corinthiana e Rojiblanca de coração. Amo ler e assistir filmes e séries. Gosto de conhecer novas culturas e tenho um carinho especial pela Cultura asiática e árabe.